Asma ocupacional

Alguns locais de trabalho apresentam fatores de risco que acabam expondo seus ocupantes a doenças adquiridas ou desenvolvidas no desempenho de suas atividades diárias. São as chamadas doenças profissionais, ocupacionais ou laborais1. Você as conhece?

Elas são exclusivamente relacionadas com o ambiente profissional, essas doenças decorrem de uma situação clínica advinda da sensibilização a substâncias relacionadas aos processos de produção ou resultantes deles2.

Considera-se como doença profissional respiratória qualquer alteração de caráter permanente na saúde do indivíduo, resultante da inalação de poeiras, gases, vapores, fumos e aerossóis, ou da exposição a radiações ionizantes e outros agentes físicos, relacionados com o posto de trabalho ocupado2.

A asma ocupacional ou profissional é a doença respiratória mais comumente associada ao trabalho3. É provocada ou agravada pela exposição inalatória a qualquer agente sensibilizante presente no local de trabalho4.

Ela chega a comprometer a qualidade de vida de trabalhadores a tal ponto que, em alguns casos, recomenda-se o afastamento do chamado ambiente irritante ou até mesmo a mudança de profissão2.

Para que essa não seja uma alternativa e que se tenha outras soluções, recomenda-se a procura por um médico especialista, para auxiliá-lo da melhor forma possível. Asma é uma doença controlável.

Referências

1. WORLD HEALTH ORGANIZATION. Occupational health. Disponível em: www.who.int/topics/occupational_health/en. Acesso em: 21 ago. 2012.

2. PARA QUE NÃO LHE FALTE O AR. Asma pode dar lugar a indenização por incapacidade laboral. Disponível em: www.paraquenaolhefalteoar.com/articles.php?id=163. Acesso em: 21 ago. 2012.

3. PARA QUE NÃO LHE FALTE O AR. Asma ocupacional: quando o trabalho é uma ameaça. Disponível em: www.paraquenaolhefalteoar.com/articles.php?id=66. Acesso em: 21 ago. 2012.

4. PARA QUE NÃO LHE FALTE O AR. Asma ocupacional – entrevista a Dr. António Jorge Ferreira. Disponível em:  www.paraquenaolhefalteoar.com/articles.php?id=30. >. Acesso em: 21 ago. 2012.

 Cód.: BR/AST/0020/12

 

Mantenha-se informado sobre a asma

Comentários Comentários (10) | Ler todos os posts

Leia outros posts relacionados

Comentários (10)

GSK | 25 de Fevereiro de 2014

Oi, Wellington. Obrigado por participar do nosso blog!

Consultar um médico especialista é o mais indicado. Apenas o médico vai poder dizer se o sintomado seu filho está ou não associado à asma.

Para a asma se manifestar, existem alguns desencadeadores ou ‘‘gatilhos’’ que geram essas crises. São fatores que quando o asmático é exposto a eles podem piorar muito a asma ou fazer aparecer sintomas.

O importante é ter em mente que a asma pode ser controlada e o asmático pode sim levar uma vida normal se fizer seu tratamento de forma adequada e se manter fora do alcance dos gatilhos da asma.

Fique à vontade para navegar e aproveitar todas as dicas nos posts.

Um abraço,

Equipe Blog Chega de Asma
GlaxoSmithKline

» wellington lemes | 25 de Fevereiro de 2014

Tenho um garoto de 2 anos e meio, ele estuda em uma escolinha que fica do lado de uma serralheria, que o tempo todo lixa portões velhos, pinta com tinta toxica e verniz, a serralheria e clandestina no fundo do quintal só descobri agora, depois que tentamos descobrir por que meu garoto durante um ano tinha peito chiador, problemas pulmonar e dificuldade de respirar, tivemos em 25 especialistas e tambem no ambulatório de asma do HC.
QUERIA SABER A OPNIÃO DE VCS SE TEM A VER A SERRALHERIA COM O PROBLEMA DO GAROTO, POIS O MÉDICOS AINDA NÃO DESCOBRIRAM O QUE ELE TEM

GSK | 27 de Novembro de 2012

Oi, Rosane. Obrigado por participar do nosso blog!

A asma é uma doença respiratória que tem como característica apresentar sintomas como dificuldade para respirar, dentre outros.

Entretanto, a confirmação de um diagnóstico somente pode ser feita por um médico especialista. Um cardiologista pode confirmar ou descartar alguma patologia de origem cardiovascular (como por exemplo, angina), e um pneumologista irá avaliar a presença de alguma doença respiratória (como por exemplo, asma, rinite, bronquite)

O conhecimento popular é um passo importante para iniciar pesquisas de alternativas terapêuticas naturais, como o alho. Diversas patologias podem ser tratadas ou amenizadas através de preparações de origem natural e muitos medicamentos disponíveis são oriundos de fontes naturais.

No entanto, é sempre importante consultar um médico especialista para que ele possar realizar o diagnóstico e indicar o melhor tratamento para o seu caso.

Fique à vontade para navegar e aproveitar todas as dicas nos posts.

Um abraço,

Núcleo de Relacionamento Web
GlaxoSmithKline

» Rosane | 10 de Novembro de 2012

Tenho uma tosse alérgica, que se agrava, principalmente, no outono devido a alta umidade e consequente aparecimento de mofo e, agora na primavera, com a presença de pólen no ar. Sinto dificuldade para respirar, e porque se torna cansativo inspirar, calculo que utilizo somente metade da capacidade do pulmão. Com isso, ou além disso, muitas vezes ao deitar começo a sentir um aperto (sensação de peso) no lado esquerdo do peito que se espalha até as costas e braço e, assim, é impossível ficar deitada.
Pergunta 1: poderia isso ser angina instável, já que pode não haver oxigenação suficiente?
Sempre sofri com renite, porém os sintomas se resumiam a acessos de espirros, ou coceira no nariz e rosto. Há dois anos comecei a ter a tosse alérgica. Na época fiz um tratamento com Tamiran, Allegra e Nac. Fiquei bem até o ano seguinte, quando retornei ao médico. Nessa época comecei a apresentar um quadro de hipertensão. Fiz uma série de exames, que acabaram demorando por questão de agendamentos. Assim, quando os exames finalmente ficaram prontos, eu já estava me sentindo bem melhor, vinha controlando a pressão, que já não estava tão alta, e por isso acabei não retornando ao consultório.
Neste ano, começou tudo novamente.
Detalhe: ano passado, enquanto estava fazendo os exames (início de maio a início de julho), comecei a comer alho cru, diariamente, e depois de cerca de dois meses, não apresentava mais nenhum sintoma, nem mesmo durante a primavera.
Este ano, passei o inverno sem tosse, mas algumas vezes senti aguele desconforto ao deitar e em duas ocasiões fui obrigada a passar a noite sentada. Agora, já na primavera, a tosse voltou, e com ela a falta de ar e e cansaço. Três dias atrás, estava me sentindo muito mal e, nos dois dias seguintes, voltei a consumir alho cru, agora já sinto alguma melhora.
Pergunta 2: pode isso ser consequência da ingestão de alho e, em caso positivo, mesmo desaparecendo completamente os sintomas, é o suficiente ou convém procurar tratamento médico?

GSK | 7 de Novembro de 2012

Oi, Maria. Obrigado por participar do nosso blog!

Para o tratamento da asma, é importante o acompanhamento médico, mesmo quando não estiver apresentando os sintomas, pois a doença pode se manifestar de forma diferente ao longo da vida.

Fique à vontade para navegar e aproveitar todas as dicas nos posts.

Um abraço,

Núcleo de Relacionamento Web
GlaxoSmithKline

» maria lucia dos sant | 6 de Novembro de 2012

tenho asma mais graças a Deus tenho uma vida normal so n posso fazer mt esforço fisico pois sinto muita dor no peito; fora isso levo minha vida normal bjs Deus nos abençoe

GSK | 26 de Outubro de 2012

Oi, Suely! Obrigada por interagir com o Blog Chega de Asma!

A asma não apresenta cura, mas pode ser tratada de forma efetiva, mantendo-se os sintomas sob controle, para evitar crises mais graves e garantir uma vida normal e ativa.

E se o tratamento for adequado, a doença pode ser sim, totalmente controlada.

Acesse o link abaixo, é veja algumas dicas que sobre o tema:

http://www.chegadeasma.com.br/asma-tem-cura-definitiva/

Fique à vontade para navegar e aproveitar todas as dicas nos posts.

Um abraço,

Núcleo de Relacionamento Web
GlaxoSmithKline

» suely | 25 de Outubro de 2012

ACREDITO QUE MINHA ASMA SEJA OCUPACIONAL PQ TENHO UMA AMIGA QUE trabalhava comigo em meio igualmente insalubre e hje tem enfisema e eu dpoc e so agora iniciando tratamentos adequedos c resultados satisfatorios mas estamos aposentadas.Bem longe do ambiente q convivemos tda uma vida.
Haveria uma chance de cura?

GSK | 25 de Outubro de 2012

Oi, João. Obrigado por participar do nosso blog!

A GSK fica feliz em poder ajudar!

Nosso compromisso é fazer com que as pessoas possam viver mais, fazer mais e sentir-se melhor!

Acesse o link abaixo, é veja algumas dicas sobre o tema de DPCO:
http://www.chegadeasma.com.br/dpoc-doenca-pulmonar-obstrutiva-cronica/

Fique à vontade para navegar e aproveitar todas as dicas nos posts.

Um abraço,

Núcleo de Relacionamento Web
GlaxoSmithKline

» joão alves da silva | 25 de Outubro de 2012

sou paciente DPOC a 10 anos.atualmente,faço tratamento no hospital do coração,fico atento todas as informação.busco a minha qualidade de vida,da melhor forma possível
um abraço que deus nos abençoei..

Envie seu comentário

Seu e-mail não será publicado.
Campos marcados com * são obrigatórios.

*
*
*